Tudo sobre pH Vaginal

Saiba tudo sobre o pH vaginal

Que o Dermafeme é amigo da saúde íntima, todas já sabem, não é mesmo? Não é à toa que nos tornamos o queridinho de todas as coleguinhas do Brasil. E para as mulheres que sabem escolher o melhor para sua saúde íntima, trazemos um conteúdo superbacana sobre um assunto muito recorrente e importante: o pH vaginal.

E sabe quem teve um papo descontraído e interessante com nosso blog? A #amigadermafeme Gaby Dias, enfermeira obstétrica, sexóloga e palestrante há mais de 10 anos sobre temas relacionados à sexualidade, relacionamento, comunicação, entre outros.

Nós sempre falamos sobre os cuidados de manter equilibrado o pH vaginal, mas para acabar de vez com todas as dúvidas, dá uma conferida no que nossa especialista tem a dizer.

O que é pH vaginal?

Gaby Dias – Ele é a nossa flora, a parte do nosso corpo que cuida das bactérias, dos lactobacilos, enfim a porta de entrada de cuidados para nossa região íntima.

Por que é tão importante manter o pH equilibrado?

Gaby Dias – Ele serve pra que nossa saúde íntima fique em dia. Se não cuido da alimentação, não faço atividade física, não estou cuidando do meu corpo, automaticamente posso ficar suscetível a ter algumas doenças crônicas. Então, por isso é muito importante deixar o pH vaginal sempre equilibrado, uma vez que ele mantém a saúde em dia.

O pH vaginal é alterado no inverno?

Gaby Dias – Não necessariamente. O que propicia algumas doenças, principalmente a candidíase, é o uso de roupas apertadas, porque estar no ambiente úmido, fechado e quente é tudo que a bactéria quer pra proliferar. No calor acaba tendo uma piora, contudo, no inverno não acontece tanto. Em resumo, tudo vai depender das condições da pessoa, roupas que usa, enfim, do seu estilo de vida.

E como podemos manter o pH da região íntima em equilíbrio?

Gaby Dias – Você mantém o pH da vagina equilibrado, quando tem a saúde íntima em dia. Não só com o uso de sabonete íntimo como a Dermafeme, mas o fato de alternar as roupas no ambiente de trabalho. Não usar apenas calça jeans e social, preferir saias e vestidos deixando a região respirar. Outra dica: não usar continuamente absorvente diário, pois ele aquece o local. Ir ao ginecologista regularmente, principalmente para a realização do exame preventivo. No consultório, o médico verifica se tem alguma feridinha no útero, que precisa cauterizar, se tem algo estranho no colo do útero, entre outros.

E não é só isso que pode afetar o pH da vagina, até o sexo sem proteção, onde a pessoa pode contrair DSTs e muitas delas têm odores fortes. Então, para equilibrar a flora vaginal devemos ter cuidado com saúde íntima em sua totalidade.

Não esquecendo que nosso corpo é uma máquina, totalmente ligado à nossa mente, se você está estressada, em uma fase difícil, isso faz com que a vagina altere o pH, o muco, a lubrificação.

O uso de medicamentos antidepressivos, anticoncepcionais, tudo isso diminui a lubrificação e mostra automaticamente que essa mulher não está 100%. Nosso corpo é como um carro, não tem como andar muitos quilômetros sem olhar o óleo. Com a saúde íntima é a mesma coisa, precisa se olhar, se conhecer e se cuidar o tempo todo.

Mesmo com os cuidados, às vezes, as mulheres notam cheiro ruim na vagina. Por que isso ocorre?

Gaby Dias – Eu sempre falo nas minhas palestras que a mulher precisa cheirar a sua calcinha e tem gente que acha isso estranho. Mas o que eu quero dizer com isso? A gente precisa conhecer nosso cheiro e tem mulher que não entende isso, aí um dia nota que está diferente e acha que é o pior odor do mundo, mas na verdade já era o seu cheiro e ela não se atentou antes. Claro que se o odor é muito forte e persistente, um ginecologista deve ser consultado.

Por isso a importância da pessoa prestar atenção em si, colocar o espelhinho, olhar a sua vagina, ela é como nariz, como olho, a gente cuida de toda parte do corpo e o porquê não olhar pra vagina?

O homem tem tanto orgulho do pênis e nós mulheres temos um preconceito com a nossa vagina, mas isso tá muito relacionado com educação sexual, que nos falta muito. Por exemplo, em uma palestra ministrada recentemente, os contratantes censuraram dois slides, que falavam sobre a anatomia do homem e da mulher. A alegação era porque eu estava em um local rural e iria constranger as pessoas.

Então, por isso que a educação sexual é um assunto tão tabu. Por essas coisas que ninguém olha pra sua vagina, mulheres se permitem passar anos e anos se relacionando sexualmente sem sentir orgasmo.  É por essa repressão que as coisas estão do jeito que estão, muita mulher cuidando de filho, marido e esquecendo-se de cuidar de si mesma.

Muitas pessoas afirmam que sabonete íntimo é prejudicial para a saúde íntima. É mito ou verdade?

Gaby Dias – O que o pessoal comenta sobre prejudicar a saúde da mulher, é porque alguns sabonetes não são testados dermatologicamente e causam a diminuição da lubrificação, deixando a região bem seca. Então é importante prestar atenção, isto é, ao usar um sabonete íntimo, avalia como sua vagina está reagindo durante o dia, durante o sexo e em outras situações. Os sabonetes não fazem mal, o que acontece é que eles têm uma qualidade duvidosa, o que não ocorre com a linha de produtos Dermafeme.

Qual característica principal que um sabonete íntimo deve ter para não alterar o pH vaginal?

Gaby Dias – Prestar na qualidade do produto, como já disse anteriormente, verificar se ele foi testado dermatologicamente, ouvir de outras pessoas as experiências,  ver se tem boas recomendações. Ao usar, observar se diminuiu a lubrificação e se a vagina tá com cheiro

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.